Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

Tornou-se um ciclo vicioso, que aquando das eleições para a Assembleia da Republica, os partidos políticos em plena campanha eleitoral, nomeadamente os partidos do arco da governação, arrogam-se genuínos defensores das Autonomias dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira, com visões e promessas desmedidas na importância de legislação sobre esta matéria, como motor essencial para atingir a sustentabilidade e evolução progressiva dos princípios autonómicos, ou seja a livre administração das Regiões Autónomas pelos açorianos e pelos madeirenses, reforçando a necessidade de adopção de políticas públicas e administrativas capazes de satisfazerem as necessidades e o bem-estar dos povos insulares.

2022 já cá está e lentamente a vida retoma o seu ciclo normal. Após os habituais balanços as empresas reabrem, acabaram-se as férias natalícias, as escolas retomam a sua imprescindível atividade presencial, e muitos jovens estudantes embarcam na sua aventura académica. Esta é também a altura das habituais resoluções de ano novo, e Jornal da Praia também as tem!

Já próximos do fim do ano, e, em plena época natalícia, que ainda conta com festividades até ao dia de Reis, no início do próximo ano, devia haver “uma certa abertura do coração a valores mais humanos, como a harmonia familiar, a atenção aos mais carenciados”, aos descartáveis da sociedade, onde são raras as ideias viáveis para a construção da paz e do bem-estar familiar e social, e de combate à corrupção que mina no país, e que em si mesma é a melhor maneira de roubar os pobres.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante