Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

É nos momentos de crise que a tão badalada solidariedade se deve aplicar. Foi isso que o Governo dos Açores tentou com a carta escrita a António Costa pedindo a suspensão das ligações aéreas do exterior com destino aos aeroportos dos Açores, tendo como única finalidade o isolamento do território açoriano, minimizando a contaminação infeciosa que alastra pelo globo.

Num ápice, passámos de estado de alerta, para contingência, para emergência, sem percebermos muito bem o que justificava sucessivas alterações num curto espaço de tempo. Mas ainda bem que o fizemos. Os exemplos que nos chegam dos países mais assolados pelo novo Corona Vírus mostram-nos claramente a calamidade que resulta da hesitação quanto a medidas de confinamento. As nossas vidas mudaram subitamente, mas assim tem de ser, para nossa proteção. Como disse e bem, o Diretor Regional da Saúde, se a população não colaborar, o serviço regional de saúde pode ruir e todos temos de contribuir para minimizar as cadeias de contágio local.

A comunicação social, principalmente a escrita e as redes sociais, com relevância para os utilizadores açorianos do Facebook, dão especial relevo ao desabafo do Presidente Vasco Cordeiro, quanto à forma como o ministro dos negócios estrangeiros de Portugal., encara e se exprime acerca do problema, do ostracismo com que o seu governo trata dos assuntos pendentes e relacionados com o acordo bilateral – Portugal/USA, resultantes da decisão da redução do contingente militar na Base das Lajes, que teve consequências graves na ordem social e ambiental e, urge resolver sem subterfúgios de qualquer ordem.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante