Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, através da Direção Regional da Cultura, promove, a partir desta quarta-feira, 10 de fevereiro, a iniciativa “Carnaval com Sabor a Saudade”, com o objetivo de divulgar a tradição suspensa em 2021 devido à pandemia de Covid-19.
Através de um conjunto de depoimentos gravados nos últimos dias com mais de duas dezenas de protagonistas do Carnaval da Terceira, autores, investigadores, atores e encenadores vo relembrar os carnavais antigos, as suas referências e como vão passar este ano de interrupção que, não sendo inédito na história, é novo para as gerações mais jovens.
Aos nomes incontornáveis de Álamo Oliveira, João Mendonça, Alcino Ornelas ou Hélio Costa, juntam-se também nomes dos mais jovens autores, como Brito Fraga, Fábio Ourique ou Patrício Vieira, numa visão eclética do que é o Carnaval da ilha Terceira sob diversos pontos de vista.
Os testemunhos pessoais e recordações de uma das tradições de maior dimensão cultural da ilha, num total de 23 vídeos, podem ser acompanhados nas redes sociais da Direção Regional da Cultura, através das páginas de Facebook e do Instagram “Cultura Açores”.

A Casa dos Açores na Madeira promove, no dia 31 de janeiro, pelas 18h00 locais (menos uma nos Açores), o Encontro de Poetas Açores – Madeira, no âmbito das comemorações do seu primeiro aniversário.
O encontro pretende ser um espaço de debate e de partilha de experiências, de saberes e de obras, dando a conhecer alguns dos valores existentes nas duas regiões na área da poesia, e contribuindo, através deste género lírico, para o enriquecimento das relações entre os Açores e a Madeira.
A iniciativa conta com a participação dos poetas Ângela de Almeida, Daniel Gonçalves, Eleonora Marino Duarte e Henrique Levy, pelos Açores, e João Carlos Abreu e Daniela Jardim, pela Madeira.
A sessão de abertura do Encontro de Poetas Açores – Madeira será presidida por Carlos Madruga da Costa, presidente da direção da Casa dos Açores na Madeira, e terá a presença de José Andrade, Diretor Regional das Comunidades, na qualidade de convidado.
A Casa dos Açores na Madeira foi fundada em dezembro de 2019, sendo a mais recente Casa dos Açores no mundo.
Esta instituição é constituída por um grupo de açorianos originários de várias ilhas dos Açores, que se uniram no sentido de criar uma entidade representativa do povo açoriano a residir na Região Autónoma da Madeira, e de dar a conhecer os Açores, os açorianos e a sua cultura à população local.
A Casa dos Açores na Madeira tem ainda como desígnios, entre outros, defender os interesses dos Açores e dos açorianos e seus descendentes, e servir de elo entre as duas Regiões Autónomas.
Nesse sentido, esta instituição integra a rede de proximidade de apoio aos açorianos residentes e deslocados naquele arquipélago, criada no âmbito da pandemia COVID-19.
O Encontro de Poetas Açores – Madeira conta com o apoio da Vice-Presidência Governo dos Açores e será transmitido em direto através da página da Direção Regional das Comunidades na rede social Facebook.

De 04 a 08 de novembro, encontra-se a decorrer a reta final do Outono Vivo 2020 na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira (AJAIT), Auditório do Ramo Grande e Jardim Municipal Silvestre Ribeiro. Por estes espaços irão passar vários eventos culturais, desde teatro, concertos, apresentações de livros e cinema.

Para hoje, quarta-feira, 04 de novembro, está programada a apresentação do livro “Ilha Terceira por/by Urban Sketchers”, por Assunção Melo, às 20h30. Meia hora depois, sucede-se a apresentação dos livros de Carlos Enes, intitulados “A Violência da FLA Quase Tomou Conta da Ilha” e “A Oposição Democrática em Ponta Delgada: Das eleições de 1969 à Cooperativa Sextante”.

No dia 05, quinta-feira, será apresentado ainda o livro “Uma História de Amor/A Love Story” de Joel Neto, às 20h30. Está prevista também a realização do espetáculo de dança contemporânea “in BOX”, de Diana Rosa, pelas 22h00, no Auditório do Ramo Grande.

Os últimos três dias do festival reservam a apresentação do livro de Liduíno Borba e José Fonseca de Sousa intitulado “Velhas da Terceira”, por Vítor Rui Dores, às 20h30, assim como a exibição do filme “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, de João Botelho (dia 6 de novembro, pelas 22h00); no sábado, dia 7, pelas 15h00, haverá a apresentação do livro “As Ruas Demoradas”, de Mário Machado Fraião – poesia reunida por Vítor Rui Dores, enquanto pelas 16h00, realizar-se-á a sessão de apresentação da revista “Atlântida”, pelo Instituto Açoriano de Cultura, seguindo-se, às 17h00, a apresentação do livro “O Pistoleiro do Futuro”, de Pedro Lopes. O dia termina com o concerto de piano a quatro mãos, por “Janeen Teixeira e Antonella Barletta”, no Auditório do Ramo Grande, às 22h00. No último dia, “Viagem de uma Marioneta – Teatro Dom Roberto – A Tourada”, por Ricardo Ávila, pelas 15h00, no Jardim Municipal da Praia da Vitória, e ainda a apresentação do livro “Topografia da Ilha Terceira”, de Jerónimo Emiliano de Andrade, às 20h00, na AJAIT.

O programa do Outono Vivo 2020 também se encontra disponível no sítio online do Município (em http://www.cmpv.pt/download/outonovivo2020.pdf) e através da leitura de código QR Code impresso nos cartazes promocionais do evento.

Os bilhetes para o concerto de piano a quatro mãos, por “Janeen Teixeira e Antonella Barletta” (sábado, dia 07 de novembro, às 22h00) têm um custo de cinco euros e já se encontram disponíveis para aquisição na bilheteira da Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira e em Ticketline. No dia do espetáculo, a bilheteira do Auditório do Ramo Grande abre duas horas antes do início do evento.

No âmbito das recomendações de segurança da Autoridade de Saúde Regional, a sala de espetáculos terá lotação reduzida e lugares marcados, sendo obrigatório o uso de máscara.

XV Feira do Livro

A par do Outono Vivo 2020, também se realizará a Feira do Livro da Praia da Vitória, que já vai na sua décima quinta edição, estando a mesma a funcionar das 12h00 às 22h00, durante os dias em que ocorram eventos culturais do Outono Vivo.

A Feira do Livro, à semelhança de anos anteriores, dispõe de uma oferta diversificada, mantendo os 50 mil livros, com chancelas de mais de 60 editoras e 22 mil títulos, incluindo de autores estrangeiros e regionais, variando entre os géneros infantis, infantojuvenis, literatura, livros técnicos e ficção.

Quanto aos descontos na venda dos livros, mantém-se os 20% de anos anteriores.

A Câmara Municipal da Praia da Vitória reforça que estão garantidas todas as normas de segurança e que serão cumpridas todas as recomendações impostas pela autoridade de saúde, permitindo que todas as pessoas interessadas possam, à semelhança de anos anteriores, participar dos eventos culturais programados e visitar a Feira do Livro

Nos espaços definidos para a realização deste festival cultural, existirão circuitos específicos de circulação, entradas e saídas distintas, limitação de acessos (máximo de 50 pessoas em simultâneo no recinto da Feira do Livro) e será montada uma tenda no claustro da Academia de Juventude para garantir o distanciamento necessário nas sessões de apresentações de livros, debates, conferências e outros eventos para ali programados.

Fonte: CMPV

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante