Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

Iniciámos este ano de 2021 com eleições para a presidência da República Portuguesa, no meio de um contínuo estado de emergência, entre restrições e confinamentos. Felizmente, nós por cá, entre alguns sustos vamos conseguindo viver alguma liberdade. Por falar em liberdade (ou falta dela…) e voltando à Democracia (ainda que com direitos “confinados”) gostaríamos de deixar aos nossos leitores apenas alguns números e considerações.

Foi com grande tristeza que recebemos no dia 18 de Janeiro de 2021, a notícia do falecimento de José Nelson Codorniz Lino, aos 69 anos de idade, vítima de doença prolongada.
José Nelson Codorniz Lino, nasceu no Porto Martins, Praia da Vitória, no dia 22 de Outubro de 1951, lugar paradisíaco, onde a perfeita e admirável harmonia da luz do céu, resplandece sobre o brando choro das vagas, das ondas que beijam a sua graciosa costa.
Cresceu a respirar o ar puro dos vinhedos e dos olivais tão característicos do Porto Martins, que lhe dão graça inigualável, parecendo mesmo estar ungido pelo Divino Espírito Santo, que as gentes daquele belo lugar tanto veneram.

Devido ao surto pandémico do coronavírus, COVID-19, que rapidamente se espalhou pelo mundo, e já se afirma no nosso país que estamos a viver a segunda vaga, derivado ao aumento exponencial de infectados na ordem de mais de 2.000 casos por dia, e toda esta situação pandémica teve “o condão de estimular e suscitar” o debate em torno do teletrabalho, cujo o seu crescimento passa a ser inegável, mas que carece de uma reflexão e análise profunda para que a sua regulação se concretize e ajude na consolidação de novos objectivos laborais, não beliscando direitos essenciais dos trabalhadores sujeitos aos seu regime, e garantir a sua respeitabilidade, defendendo o direito ao repouso, à privacidade, ao desligamento, evitando o isolamento profissional e social.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante