Diretor: Sebastião Lima
Diretora Adjunta: Carla Félix
Últimas Notícias

Joana Bettencourt é a cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda à autarquia da Praia da Vitória, e Ana Oliveira será a primeira candidata à Assembleia Municipal.
O principal objetivo desta candidatura é devolver a vida ao concelho, dinamizando quer a cidade, quer cada uma das suas freguesias, através de políticas que coloquem sempre as pessoas no centro das decisões.
O Bloco insiste que está na hora de colocar o porto e o aeroporto localizados no concelho da Praia da Vitória ao serviço do desenvolvimento económico da Terceira e dos Açores, em vez de deixar estas infraestruturas ao serviço dos interesses militares dos EUA, que estão a estrangular o potencial da Praia da Vitória.
O processo de descontaminação de água, solos e subsolos, que se encontra estagnado, e que foi remetido ao esquecimento nos últimos tempos com o pretexto da pandemia, é uma das grandes preocupações desta candidatura, que irá ter uma postura de exigência perante todos os poderes e instituições envolvidas nesta matéria, para que sejam dados passos concretos e calendarizados para a reabilitação ambiental e para a mitigação dos problemas de saúde pública gerados pela contaminação provocada pela utilização militar da ilha Terceira pelos EUA ao longo de décadas.
A aposta na Cultura será também uma das marcas desta candidatura do Bloco de Esquerda, na defesa de uma cultura plural e itinerante.
Apoiar as famílias e as empresas na resposta à crise provocada pela pandemia será também uma das prioridades do Bloco de Esquerda na Praia da Vitória.
Joana Bettencourt tem 38 anos, é professora. Ana Oliveira, conhecida atleta da Região, tem 39 anos e é técnica especialista de exercício físico.

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, lembrou na segunda-feira o histórico de “desenvolvimento sustentável” da Região, advogando que os Açores merecem reconhecimento e “acrescentam valor” à União Europeia.
O governante falava em Ponta Delgada, depois da formalização de dois acordos: um, com a Marinha, referente à cedência para a Região do navio desativado Schultz Xavier, e um segundo com a Parley Foundation For the Oceans, que irá criar um recife artificial a partir do afundamento do navio.
A parceria, destacou José Manuel Bolieiro, atesta como a entidade viu a “importância geoestratégica dos Açores e o valor que os Açores acrescentam à dimensão mundial” da própria fundação Parley For the Oceans.
“A causa dos mares e dos oceanos tem de ser matriz das políticas públicas locais, regionais, nacionais e mundiais”, prosseguiu o Presidente do Governo, numa cerimónia em que também esteve presente o Ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e os presidentes das autarquias de São Miguel, entre outros.
O memorando assinado com a Parley Foundation For The Oceans, presidido em Portugal por Daniela Coutinho, tem por objetivo promover a cooperação institucional, “contribuindo para o fortalecimento das instituições e políticas públicas e privadas em matéria de defesa dos recursos marinhos e ambiente pelo combate às alterações climáticas; de proteção da biodiversidade; e sensibilizar a população residente nos Açores para a sustentabilidade, assim criando uma Eco Agenda”.
Algumas das áreas de interesse comum são a defesa dos recursos naturais e ecossistemas marinhos, alterações climáticas, gestão integrada das zonas costeiras, desenvolvimento sustentável e eco inovação, conservação e proteção da biodiversidade, educação ambiental e democratização da arte e da cultura.

Face às contradições sobre as novas orgânicas do XIII Governo Regional, o Grupo Parlamentar do PS/Açores entregou, no Parlamento Açoriano, um requerimento a solicitar informações. “O XIII Governo Regional, ao contrário do prometido, aumentou significativamente os cargos de nomeação política na estrutura do Governo”, afirmou Sérgio Ávila, um dos deputados que assina o requerimento.
Posteriormente, acrescentou, “foi anunciado que esse aumento de custos seria compensado pela redução dos dirigentes intermédios da administração pública preenchidos por concurso público, o que constitui um reforço dos lugares de nomeação política em detrimento do acesso dos funcionários públicos aos seus lugares de chefia por concurso público, evidência cabal de um processo de politização da administração pública”.
Sérgio Ávila recordou que “no dia 1 de abril de 2021 o Presidente do Governo anunciou, após a reunião do Conselho de Governo desse dia, a aprovação das orgânicas dos Departamentos do XIII Governo Regional”, no entanto, “tendo já passado dois meses deste anúncio, afinal, verifica-se que ainda não são conhecidas nem foram publicadas essas novas Orgânicas no Jornal Oficial, o que é estranho tendo em conta que as mesmas já foram aprovadas em Conselho de Governo há mais de 60 dias”.
Através de requerimento, o GPPS Açores solicita “cópia das orgânicas de todos os departamentos do XIII Governo Regional aprovadas no Conselho de Governo do dia 1 de abril 2021, conforme anunciado pelo Presidente do Governo” e “cópia das orgânicas dos departamentos do Governo em vigor a 31 de março de 2021 com identificação dos lugares de Dirigente efetivamente ocupados à data”.
O requerimento também solicita informação sobre o “valor de indemnização por extinção do cargo de dirigente ou pessoal de chefia, quando a mesma for devida nos termos da legislação em vigor, em relação a cada lugar extinto” e dados específicos sobre novos cargos, entre outras informações.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante