Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

O Partido Socialista apresentou no dia 11 de agosto feriado municipal, no Auditório do Ramo Grande, a candidatura às eleições autárquicas do próximo dia 26 de setembro.
Na sessão oficial de apresentação dos candidatos do Partido Socialista, Berto Messias, candidato à presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória, no seu discurso de apresentação apontou vários objetivos para concretizar caso seja eleito, entre os quais a reorganização da baía da Praia da Vitória, um Plano de Ordenamento Turístico para o concelho ou mais colaboração com as freguesias.
Segundo disse, é necessário “perceber aquilo que hoje funciona bem e corrigir aquilo que não funciona bem, e que todos anos onera de forma excessiva a Câmara Municipal”, para além de afetar “consideravelmente a qualidade das águas e a qualidade das praias”.
Assumindo uma postura firme e determinada nesta questão, Berto Messias, diz que se necessário for irá remover, “deslocalizando para outra zona infraestruturas já existentes”, exemplificando com a marina da Praia da Vitória, que não lhe retirando méritos, afirmou que todos os anos “cria um conjunto de problemas ao nível do assoreamento e da expansão do areal da prainha”.
O candidato socialista revelou-se convicto que nova “visão”, devidamente assessorada tecnicamente e com o contributo de todos aqueles que se dedicam ao surf, windsurf, bodybord e às atividades náuticas, permitirá um reordenamento da baía para que ela possa “continuar o seu caminho de importante contributo para a valorização da Praia da Vitória”.
Berto Messias elencou também um conjunto de infraestruturas que são necessárias na Praia da Vitória, como um pavilhão multiusos, um novo mercado municipal, novas zonas empresariais e um centro interpretativo do Ramo Grande
Para além do Plano de Ordenamento Turístico do concelho da Praia da Vitória, onde se insere a proposta de reordenamento da baía da cidade, Berto Messias quer implementar um plano estratégico de reabilitação dos edifícios públicos por todo o concelho e um de fomento à habitação.
Berto Messias quer ainda potenciar o investimento externo na Praia da Vitória, assumindo como prioritário a conclusão da revisão do Plano Diretor Municipal e a constituição – contando com os recursos já existentes – de uma agência para o investimento.
No plano social, o candidato socialista à Câmara de Praia assume que continuará a apoiar quem mais precisa, mas pretende também aliviar a “taxa de esforço” mensal das famílias da classe média, no âmbito das competências de um presidente de Câmara.
Assumindo uma colaboração total com as juntas de freguesia, Berto Messias, assume o compromisso de afetar uma percentagem a definir da receita do IMI às juntas, para que essas possam melhor responder às necessidades das suas populações.
Nesta sessão de apresentação dos candidatos, que não contou com a presença de todos os candidatos devidos às restrições pandémicas, intervieram ainda o mandatário da juventude, José Dias, o mandatário da candidatura, Roberto Monteiro, a candidata à presidência da Assembleia Municipal, Fátima Homem e o secretário coordenador do PS/Terceira, Sérgio Ávila.

CANDIDATOS ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Fátima Homem
Carlos Enes
Nivalda Bettencourt
Valter Peres
Carina Dias
Agostinho Simões
Daniela Andrade
José Laranjo
José Paim
Eulália Leal
Simão Fonseca
Ricardo Ferraz da Rosa
Daniela Medeiros
Rodolfo Franca
Fábio Valadão
Mónica Brum
Nuno Santos
Joana Machado
Pedro Medeiros
Marta Meneses
Carolina Amaral
Francisco Rocha
José Lemos
Nisa Ramos
Flávio Moreira
João Santos
Taciana Rocha
Pedro Alves
Carlos Gomes
Andreia Mendes
Rúben Leonardo
Francisco Ourique
Luzia Sequeira
Ivo Moreno
António Pereira
Filomena Aguiar
Jorge Rocha
Paulo Messias

CANDIDATOS CÂMARA MUNICIPAL

Berto Messias
Marco Martins
Isménia Alves
Pedro Machado
Nuno Ribeiro
Leila Dinis
Catarina Nogueira
Rita Branco
Luís Leal
Francisco Ventura
Maura Borges
Rodrigo Pereira
Jéssica Ourique
Simão Fonseca
Ana Paula Flores
Jéssica Silva
Nuno Meneses
Carlos Armando Costa

CABEÇAS DE LISTA ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA

Agualva: Francisco Ventura
Biscoitos: Francisco Vaz Valadão
Cabo da Praia: Osvaldo Sousa
Fonte do Bastardo: Júlia Faria
Fontinhas: Hélder Pereira
Lajes: Norberto Inácio
Porto Martins: Maura Branco
Quatro Ribeiras: Bruno Narciso
Santa Cruz: António Borges
São Brás: Marco Toste
Vila Nova: Vasco Lima

O BE/Açores reagiu ao comunicado do Governo Regional de 6 de agosto que, entre outras alterações, aprova o fim do transporte marítimo de passageiros entre as ilhas do grupo oriental, entre as ilhas do grupo ocidental e entre estes dois grupos e as restantes. O grupo parlamentar redigiu um requerimento ao Governo questionando as razões por detrás da decisão.

Em causa está a aprovação das obrigações de serviço público e a autorização de lançamento do concurso público para contrato de fornecimento do serviço público de transporte marítimo regular de passageiros e de viaturas. O partido considera que a decisão “contraria o disposto no próprio programa de governo, que garante a manutenção do serviço público já prestado no que respeita ao transporte marítimo de passageiros e carga inter-ilhas” e indaga em que pareceres técnicos se baseou o Governo Regional para a tomada de decisão.

O Bloco critica ainda a falta de discussão pública e questiona se houve alguma audição prévia dos municípios afetados, dos conselhos de ilha e dos parceiros sociais sobre esta “profunda alteração no modelo de transportes em vigor na região”. Uma vez que a discussão também deixou à margem a própria Assembleia Regional, o partido acusa o Governo Regional de falta de transparência no processo.

O presidente do PSD/Açores afirmou que a redução dos impostos e do preço das passagens aéreas inter-ilhas executada pelo atual Governo Regional “não aconteceria” com o Partido Socialista, o que demonstra uma “diferença” entre a atual governação e a anterior.

“O PSD, o CDS-PP, o PPM, o Chega e a Iniciativa Liberal formaram uma maioria política parlamentar para que, com esta governação, houvesse uma diminuição da carga fiscal e os açorianos pagassem menos impostos. Mas isso não é apenas uma bandeira. É uma diferença. É que com o Partido Socialista isso não aconteceria. [Os socialistas] manifestaram-se contra esta medida”, disse José Manuel Bolieiro, na abertura das jornadas parlamentares do partido, que decorrem em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

O líder dos social-democratas açorianos recordou igualmente que a instituição de um preço máximo de 60 euros nas ligações aéreas inter-ilhas (‘Tarifa Açores’) foi fortemente contestada pelo Partido Socialista na campanha eleitoral.

“A ‘Tarifa Açores’, em debate eleitoral, foi criticada pelo PS, que disse ser mal estudada, que não teria aplicação e que não resolvia nenhum problema. Esta era visão do Partido Socialista, que não aceitaria um preço limite de 60 euros [nas ligações inter-ilhas] a pagar pelos açorianos”, frisou.

Segundo José Manuel Bolieiro, a redução do preço das passagens aéreas inter-ilhas feita pelo atual Governo Regional “nunca existiria com o Partido Socialista”.

“Com este Governo [a redução do preço das passagens aéreas] é uma realidade. Com um governo do Partido Socialista não existiria ‘Tarifa Açores’. Esta é mais uma diferença”, sublinhou.

O presidente do PSD/Açores e chefe do Governo Regional salientou que a redução dos impostos e do preço das passagens aéreas inter-ilhas são apenas alguns exemplos de que o atual Executivo “está a fazer coisas diferentes e disruptivas”.

“Estas medidas foram aplicadas no prazo com que nos comprometemos. Não houve atraso entre o prometido, com um cansaço de espera desesperante, e a aplicação. A diminuição dos impostos e as passagens inter-ilhas a 60 euros foram aplicadas no tempo certo”, referiu.

José Manuel Bolieiro destacou também que o atual Governo Regional está a levar a cabo um “combate progressivo à precariedade laboral”, através de “vínculos estáveis” para os funcionários da administração pública regional cujas tarefas correspondam a “necessidades efetivas e permanentes”.

“Definimos como prioritárias as áreas da Educação e da Saúde no combate à precariedade laboral. Nos governos que nos antecederam a precariedade era uma prevalência. Com este Governo estamos a eliminar, de forma progressiva, os vínculos precários, substituindo-os por vínculos de estabilidade laboral nas áreas com necessidades permanentes e efetivas”, afirmou.

Para o líder dos social-democratas açorianos, a estabilidade laboral “é fundamental para garantir felicidade aos profissionais e às suas famílias”.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante