Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A candidata à Presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória pela coligação PSD/CDS-PP, Vânia Ferreira, pretende “dar vida ao centro da cidade de Nemésio”, uma mudança “que depende de uma conjugação de fatores, que vão para além da simples abertura da Rua de Jesus”, disse.

Para a praiense, “este é um primeiro passo importante, é verdade, mas não será o único. Perguntem aos comerciantes da primeira metade da Rua de Jesus, se gostariam de a ver fechada, a resposta será perentória: não! Queremos transportar o movimento desta parte da Rua para toda ela. Mas, mesmo assim, isto não será suficiente para voltarmos a ter a Praia que outrora conhecemos”, alerta.

“Queremos rever o contrato com a empresa DATAREDE, para diminuir ou até extinguir a presença de parquímetros. Não obstante, que os atuais parques da cidade sejam transformados em zonas de estacionamento controlado, onde as pessoas pagam consoante o tempo que querem estar na cidade, sem limitações, e queremos também criar novas zonas de estacionamento”, garante a social democrata.

Vânia Ferreira afirma que “estas medidas serão complementadas com o devido apoio aos nossos comerciantes e incentivos aos novos empreendedores que se queiram sediar na cidade. Queremos rever os atuais regulamentos em vigor, como o Viver e Investir na Praia da Vitória, com o parecer dos principais interessados, os nossos empresários”.

“Também queremos apostar na dimensão cultural, valorizando a nossa cultura, dinamizando os espaços existentes, como o auditório e a academia da juventude. Queremos dar continuidade ao Festival Outono Vivo e pretendemos retomar outros, de sucesso comprovado e que deixam saudade, como o Festival de Blues, do Ramo Grande ou ainda organizar um Festival de Rock na cidade, através de parcerias para que estes se desenvolvam, para que tenhamos um cartaz diversificado para oferecer aos praienses e a quem nos visita”, garante.

Para candidata da coligação, “é importante continuar a apoiar as nossas filarmónicas e promover atuações inéditas no centro da cidade. Assim como, atuações musicais promovidas em parceria com as escolas de música, para dar a visibilidade junto da comunidade e acarinhar o trabalho desenvolvido pelos nossos jovens artistas”.

“Além disso, esta é a cidade de Vitorino Nemésio, a sua história merece ser contada de outra forma e ser de fácil acesso a quem nos visita e até à própria população”, acrescenta.

Por outro lado, e a finalizar, Vânia Ferreira reitera a importância “de virarmos a cidade para o mar”, afirmando que “é necessária uma valorização e organização urgente da nossa baía. Garantir a limpeza do areal da principal praia de banhos da cidade, para que possa atrair mais gente. Iremos apostar insistentemente nos desportos náuticos, na sua promoção junto dos mais novos, no primeiro contacto, prática e até competição, em parceria com o Clube Naval da Praia da Vitória e com as empresas do setor. Queremos dar condições às empresas marítimo-turísticas para que aqui se desenvolvam e dar-lhes condições para trazerem novidade. Queremos revitalizar toda a zona da marina, ligando-a ao Paul”.

O candidato do Grupo de Cidadãos Eleitores “Esta é a nossa Praia” a Presidente daO candidato do Grupo de Cidadãos Eleitores “Esta é a nossa Praia” a Presidente daCâmara Municipal da Praia da Vitória, nas eleições Autárquicas do próximo dia 26 desetembro, Tiago Ormonde, compromete-se a colocar a Autarquia “como parceira daDireção da Aerogare Civil das Lajes e da Câmara do Comércio no processo deinternacionalização do Aeroporto da Terceira”, com o intuito de “captar novas rotas efluxos turísticos para a Praia da Vitória e para a ilha”.Após reunir com os responsáveis pela gestão da Aerogare Civil das Lajes (acompanhadode vários elementos da lista de candidatos à Câmara Municipal, assim como candidatosque integram a lista da candidatura independente à Assembleia Municipal da Praia daVitória), Tiago Ormonde assumiu o compromisso de parceria, deixando ainda amensagem de que “o Aeroporto das Lajes é central para as ligações interilhas”, peloque, defendeu, “importa rever a política de transporte aéreo interilhas”.Atualmente com capacidade para estacionar mais de 15 aviões em simultâneo, frutodo processo de certificação civil do Aeroporto (utilizando parte da placa militar juntoao Posto 1), o cabeça de lista à Câmara Municipal praiense destacou “os investimentosprevistos executar na infraestrutura visando a ampliação da Aerogare Civil das Lajespara aumentar a capacidade de resposta nos processos de embarque e desembarquede mais passageiros ao mesmo tempo”.Estatisticamente, referiu, “o nosso Aeroporto está, aos dias de hoje, com o mesmonúmero de passageiros movimentados que em 2019, isto apesar do período depandemia que se vive”, sublinhando como “muito positivas também as medidas quenos foram apresentadas de promoção do Aeroporto em Feiras internacionais deaviação”.“Garantiram-nos que estão em perspetiva novas rotas para o breve trecho e para aTerceira, mas importa continuar este trabalho de promoção internacional do nossoAeroporto, porque ganha a economia da Praia da Vitória, da ilha Terceira e dos Açores,pelo que nos comprometemos a associar a Câmara Municipal como parceira daDireção da Aerogare e da Câmara do Comércio neste trabalho”.

Diversos membros do Governo Regional dos Açores, incluindo o Presidente, José Manuel Bolieiro, e o Vice-Presidente, Artur Lima, reúnem-se na quinta-feira em Lisboa com vários elementos do Governo da República, desde logo o Primeiro-Ministro, António Costa.

A comitiva Açoriana integrará ainda os Secretários das Finanças, Planeamento e Administração Pública (Joaquim Bastos e Silva), da Agricultura e Desenvolvimento Rural (António Ventura), do Mar e Pescas (Manuel São João), da Cultura, Ciência e Transição Digital (Susete Amaro), do Ambiente e Alterações Climáticas (Alonso Miguel) e dos Transportes, Turismo e Energia (Mário Mota Borges).

O XIII Governo da Região Autónoma dos Açores iniciou um novo ciclo de governação, mais próximo das pessoas, mais transparente nos procedimentos, mais rigoroso na decisão, assente num processo de diálogo com todos os partidos com assento parlamentar, com organizações e instituições da sociedade civil e parceiros sociais, bem como os Órgãos de Soberania, designadamente com o Governo da República.

Dialogar e ouvir para governar melhor é uma atitude constante e um modo diferente de governar. No plano da ação governativa, o Governo não abdicará de exercer todas as competências que a Constituição da República Portuguesa e o Estatuto Político-Administrativo lhe atribuem, ou que lhe venham a atribuir, na defesa do interesse dos Açores, nas relações com o Estado.

Assim, o Governo dos Açores defende uma Autonomia de Responsabilização, numa relação de respeito mútuo e de uma cooperação entre o Governo Regional e a República Portuguesa.

Não há assuntos só da Região ou assuntos só do Estado quando o que interessa é o desenvolvimento dos Açores. A Autonomia tem sempre uma palavra a dizer. A opção tem de ser a da corresponsabilização.

O Estado deve cumprir as obrigações de Soberania em cooperação com a Região. É imbuído por este espírito que o Governo dos Açores encara este primeiro encontro entre governos, reconhecendo, por um lado, o muito que tem sido feito, mas destacando o muito que ainda há para fazer.

É fator positivo, de reconhecimento e enaltecimento, entre outros pontos, a forma célere, eficaz e de cooperação no processo de distribuição das vacinas, num contacto inicial com o Senhor Primeiro-Ministro, que permitiu que o processo se iniciasse nos Açores ainda em 2020. Da mesma forma, é também de reconhecer o sucesso e a boa cooperação com a ‘task force’ nacional para o processo de vacinação, que permitiu que durante o mês de agosto os Açores tenham alcançado mais de 70% de cobertura vacinal, estimando-se para o mês de outubro o alcance da meta dos 85%.

É fator positivo, de reconhecimento e enaltecimento o acolhimento por parte do Governo do Estado-Membro Portugal, o cumprimento de um pedido do Governo dos Açores, a nível europeu, de haver uma majoração na atribuição de vacinas para as ilhas sem hospital, para as Regiões Ultraperiféricas. Portugal deu o exemplo a nível europeu, e permitiu que tal tenha acontecido.

Foi também fator de bom entendimento, a correta interpretação dos preceitos autonómicos por parte do Governo da República, no âmbito da competência regional para a diminuição da taxa do IVA na Região Autónoma dos Açores, sem ser necessária uma alteração legislativa, por via da Assembleia da República, como também pela correção feita, no âmbito da Lei do Orçamento do Estado para 2021 - Disposição transitória em matéria de produtos petrolíferos e energéticos, que permitiu que a receita gerada com o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos pago pela EDA, S.A. relativamente ao fuelóleo fosse receita da Região e não do Estado.

O Governo dos Açores enaltece e reconhece também a continuação dos investimentos e da boa cooperação em projetos estruturantes para as novas economias, como é o caso do AIR CENTRE, do investimento no desenvolvimento de um ecossistema espacial na ilha de Santa Maria, no âmbito da PTSPACE, na instalação do Atlantic Center na ilha Terceira, ou mesmo do Observatório do Atlântico, na ilha do Faial. Em todos estas iniciativas, garantimos uma boa cooperação e rápido entendimento.

No âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, o Governo dos Açores enaltece o trabalho desenvolvido e reconhece o sucesso alcançado, como também destaca a realização do importante evento “All-Atlantic”, realizado em São Miguel e da qual resultou na “Declaração dos Açores”.

É também fator de reconhecimento a efetiva resolução do regime especial de majoração dos apoios sociais dos trabalhadores da COFACO, o protocolo de cedência, pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da aplicação SIGA – Sistema Informático de Gestão de Autos à RAA-SROPC, com a respetiva assinatura marcada para 15 de outubro p.f., a futura instalação dos Gabinetes de Apoio à Vítima, nos Departamentos de Investigação e Ação Penal (DIAP) da Região, e ainda a finalização da rede de radares meteorológicos na Região, que será concretizada no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência.

Não obstante todo este histórico recente positivo, importa ainda analisar e resolver, alguns outros pontos, que pela sua complexidade, carecem de uma maior análise, que esperamos possam ser alvo de resolução nesta reunião.

A reunião decorre na quinta-feira, pelas 09h00, no Palácio Nacional da Ajuda.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante