Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A deputada do PSD/Açores na Assembleia da República, Ilídia Quadrado, quer ver esclarecida a regulamentação relativa à formação dos gestores de segurança nos eventos desportivos, tendo questionado o Governo sobre o assunto e dando voz aos anseios de associações e clubes.
Numa questão formulada ao Ministro da Administração Interna e ao Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, a social democrata sublinha que os promotores daquele tipo de eventos têm de designar um gestor de segurança, conforme dita o Regime Jurídico da Segurança e Combate ao Racismo, à Xenofobia e à Intolerância nos Espetáculos Desportivos.
Nesse sentido, Ilídia Quadrado quer saber se já foi criada a portaria que regulamenta a formação para quem exerce aquelas funções, “de forma a orientar as organizações promotoras dos eventos desportivos, para que cumpram com a legislação, evitando que lhes sejam aplicadas contraordenações”, adianta.
“Trata-se de um tema de crucial importância, pois esse Regime Jurídico regulamenta a realização dos espetáculos desportivos, possibilitando que os mesmos aconteçam em segurança e de acordo com os princípios éticos inerentes à sua prática”, refere a deputada açoriana.
“Diz o mesmo que o gestor de segurança deve possuir formação específica adequada, cabendo a sua organização à Autoridade Para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto, e sendo ministrada pelas forças de segurança e pela Autoridade Nacional de Proteção Civil”, explica Ilídia Quadrado.
“Assim, para cumprir o regulamentado, tem de haver condições para preparar o referido gestor, e elas não existem no sentido de promover a sua formação, pelo que as organizações desportivas estão perante um problema que é urgente resolver, uma vez que lhes podem ser aplicadas coimas, mas não têm meios para ministrar a formação indispensável ao cargo”, concluiu.

A Seleção Sub-17 de Futebol 11 da Associação de Futebol de Angra Heroísmo (AFAH) venceu o Torneio Regional Interassociações, que decorreu no Campo dos Flamengos, cidade da Horta, entre os dias 1 e 3 de abril.
Com quatro vitórias em quatro partidas disputadas, o conjunto liderado por Paulo Meneses somou doze pontos, conquistando, desta forma, o troféu. Ao longo da competição, a seleção da AFAH marcou um total de catorze golos, tendo sofrido apenas três.
Francisco Simões (6 golos), Leonardo Ponte (4 golos), Jorge Pimentel (2 golos), Francisco Fernandes (1 golo) e Hugo Furtado (1 golo) foram os marcadores do lado da seleção da AFAH.
Confira o quadro de resultados:
AF Horta 1 - 6 AF Ponta Delgada
AF Angra do Heroísmo 4 - 2 AF Ponta Delgada
AF Angra do Heroísmo 4 - 0 AF Horta
AF Ponta Delgada 7 - 2 AF Horta
AF Ponta Delgada 0 - 4 AF Angra do Heroísmo
AF Horta 1 - 2 AF Angra do Heroísmo
Classificação final:
AF Angra do Heroísmo - 1º (12pts)
AF Ponta Delgada - 2º (6pts)
AF Horta - 3º (0pts)
Aproveitamos para referir que no próximo fim de semana, de 9 a 11, decorrerá, na ilha Terceira, Campo dos Leões, o Torneio Regional Interassociações Sub-16 Futebol 11.

Entre os dias 01 e 03 de abril, a seleção sub-17 de futebol 11 da Associação de Futebol de Angra Heroísmo (AFAH) marcará presença no Torneio Regional Interassociações, promovido, este ano, pela AF Horta, no Campo dos Flamengos, cidade da Horta.
O conjunto orientado por Paulo Meneses, no passado dia 29 de março, realizou o décimo e último estágio de preparação para esta prova, tendo o treino decorrido no Campo do Barreiro, Porto Judeu, onde o selecionador contou com os dezoitos atletas convocados para o torneio.
Paulo Meneses, que está a ter a sua segunda passagem pelo cargo de selecionador da AFAH, diz que “as espectativas são as melhores, tendo em conta que tivemos uma preparação muito boa, apesar das circunstâncias pandémicas”. Quanto ao grupo, sente que “está muito motivado e até mesmo um pouco ansioso, mas uma ansiedade que considero positivo, pois estão com muita vontade de começar o primeiro jogo. O torneio sofreu alguns adiamentos e, como tal, esta situação criou alguma incerteza nos atletas que se transformou em grande felicidade, assim que perceberam que iria mesmo realizar-se a prova”.
O selecionar mostra-se confiante na equipa, pois, e segundo o mesmo, “estamos a falar de um grupo de jovens atletas de grande qualidade e com larga experiência em torneios do género. Para além disto, vestimos as cores da AFAH, o que acarreta por si só uma grande responsabilidade, bem como um foco total em desenvolver um grande trabalho e alcançar bons resultados”.
Por último, Paulo Meneses referiu estar “extramente motivado” para aquele que será o seu primeiro torneio, desta segunda passagem pelos comandos das seleções de futebol da AFAH, dez anos depois.
A seleção da AFAH inicia a sua participação frente à congénere de Ponta Delgada, no dia 01, às 17h00. No dia seguinte medirá forças com a seleção da casa, num encontro agendado para as 10h00. Já no dia 03, entrará em campo por duas vezes. Às 09h00 terá a segunda partida com a seleção de Ponta Delgada e terminará a sua participação com um segundo jogo frente a seleção anfitriã, às 14h30.
Na convocatória constam atletas de quatro clubes filiados da AFAH, sendo estes os eleitos de Paulo Meneses: Francisco Simões, João Cardoso, Luís Silva e Simão Rodrigues, do SC Angrense; Bruno Gusmão, Donato Sabença, Francisco Fernandes, Gonçalo Brito, Gonçalo Correia, Gonçalo Medeiros, Leo Silva e Leonardo Ponte, do SC Lusitânia; António Silva e Celso Castro, do SC Praiense; Afonso Moniz, Hugo Furtado, João Fagundes e Jorge Pimentel, do SC Vilanovense.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante